O ser humano é essencialmente uma criatura que adora, isso faz parte da sua natureza. Sua escolha é a quem vai adorar.
 
esus ensinou à mulher samaritana: “Mas vem a hora, e já chegou, quando os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade, porque são estes que o Pai procura para seus adoradores. Deus é Espírito; e importa que os seus adoradores o adorem em espírito e em verdade.” (Jo 4.23).
 
A adoração para ser levada em conta tem que consistir em atitudes e atos que reverenciem e honrem a majestade do único Deus e não a falsos deuses, seres humanos ou imagem de escultura, quer de anjos ou de santos. Só Deus é digno da verdadeira adoração.
 
O Evangelho de Jesus é simples e sem atalhos: “Então, Jesus lhe ordenou: Retira-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás, e só a ele darás culto.” (Mt 4.10).
 
A responsabilidade assumida pelo Estado Brasileiro e pelos religiosos que apontam Aparecida ou Nazaré como foco de adoração ou veneração é muito séria.
 
Façamos do mês de outubro o mês de intensa adoração a Deus (Js 24.15).
 
Samuel Câmara
Pastor da Assembleia de Deus em Belém