Como o cristão deve lidar com as ideologias predominantes no mundo, que muitas vezes tomam ardilosamente o lugar dos valores cristãos ensinados na Bíblia?

1. Oposição a Deus. Alguns exemplos destas ideologias nocivas, geralmente ligadas a movimentos políticos, econômicos ou sociais, são: comunismo, fascismo, anarquia, feminismo, machismo, humanismo. Nessas ideologias Deus é completamente “varrido” ou meramente suportado, como conceito abstrato, sem qualquer interferência na condução da História.

2. Relativização moral. Tudo é relativo, inclusive os valores morais e éticos e os princípios cristãos. Basta ver a maléfica ideologia de gênero e a relativização do conceito de família, afirmando que não nascemos sendo homem ou mulher, e que o casamento pode ser homoafetivo ou poligâmico.

3. A deificação do homem. É um discurso humanista, centrado no homem, como se este fosse capaz de dar solução a todos os problemas que dilaceram o mundo. O próprio homem é o “deus” de si mesmo e tudo se limita à vida física.

Entre outros aspectos, devemos votar contra estas ideologias, e também contra o crime, a corrupção e a imoralidade. Vamos votar a favor da liberdade de expressão e de culto, do direito de ir e vir, da alternância de poder, da prevalência do Estado mínimo, da defesa da família e da vida.

Neste momento de profunda crise, convém nos humilharmos diante de Deus, orando e votando por melhores autoridades para o Brasil. “A igreja não é um mero termômetro que registra as ideias e princípios da opinião popular; ela é o termostato que transforma os usos e costumes da sociedade.” (Martin Luther King).

O Brasil acima de tudo e Deus acima de todos.

Samuel Câmara
Pastor da Assembleia de Deus em Belém-PA