Para muitos cristãos, o tema cidadania ainda é visto como algo tão sem importância ou um assunto que os incomoda. Se você um dia resolvesse concorrer a uma eleição, a que cargo concorreria, e, se eleito, qual seria o seu projeto para sua cidade, estado ou nação? Quem nunca debateu sobre esses assuntos numa roda de amigos, na escola, no trabalho?

Cidadania é exercício pleno dos direitos e dos deveres do cidadão que o permitem participar da vida da sua cidade e do seu país.  Veja o exemplo de Paulo, que também era cidadão romano e usou de seus direitos quando estava em aperto (At 22.27,28).

Estamos vivendo momentos de boa oportunidade para refletir sobre o exercício da cidadania. Não podemos ser omissos sobre o que está acontecendo em nossa nação. Nossa missão, enquanto agentes do Reino de Deus aqui na terra, tem a ver também com a participação ativa no bem-estar do nosso povo.

É importante o nosso papel no exercício da nossa cidadania expressada pelo voto nas eleições gerais de outubro. O exercício da cidadania passa pelo voto. Não anule o seu voto, não vote em branco, não espalhe seu voto em quem não tem potencial de ser eleito pois, agindo assim, você estará ajudando a eleger alguém que você não quer ver eleito.

Quando o candidato é alguém vocacionado, qualificado e ainda compartilha da fé, valores ou visão de mundo cristã, como você: fechou! Aí sim é melhor! A Missão de Cidadania da nossa Igreja tem boas sugestões de nomes que preenchem este perfil. Procure saber.

Somos cidadãos dos céus, mas ainda vivemos aqui na terra.

Façamos o melhor para transformar positivamente o Brasil.

Parabéns Assembleia de Deus pelo majestoso desfile de 7 de setembro e parabéns Missão com Jovens pelo belo Congresso Brasileiro de Jovens.

Samuel Câmara

Pastor da Assembleia de Deus em Belém