Discernindo as telas da vida

143e11111Um visitante curioso, numa exposição de arte, estava absorto a contemplar fixamente uma das telas de pintura abstrata, onde uma anotação no cavalete trazia o desafio para identificar um rosto famoso no quadro. Ele olhou fixamente para a pintura por um longo tempo, observando-a bem de perto e de diferentes ângulos. Um pouco confuso, pensou resignadamente que não havia nenhum rosto na tela, e rumou para a porta de saída. Contudo, em lá chegando, por mera curiosidade se virou para uma última olhada. Então pôde ver, à distância, a figura imponente de Abraão Lincoln que se sobressaía e enchia a tela. Mas não a discerniu claramente quando demasiado próximo, apenas quando teve distância e perspectiva corretas.

Assim é a vida. Vez por outra, as circunstâncias que nos envolvem podem ser tão confusas ou aparentemente despropositas como uma pintura abstrata. Nessas horas, a vida parece perder o sentido ou não ter propósito, como se tudo corresse a esmo e fruto do acaso, como se as ocorrências da vida não seguissem padrão algum. Nessas ocasiões, ganha força e visibilidade a teoria de que a vida é um mero acaso, que não há propósito algum no universo, que Deus não existe ou não se importa, que tudo acaba depois da morte.

Mas como crer de modo diferente, quando seu cônjuge deixou-lhe por outra pessoa? Ou quando seu emprego de muitos anos acabou devido a um corte de custos na empresa? Ou quando um filho foi apanhado usando drogas? Ou a filha fugiu de casa? Ou quando a crise econômica enterrou seus sonhos? Ou quando a pessoa em quem mais você confiava acabou “pisando na bola” e fracassou moralmente? Como pensar diferente, quando o médico lhe diz que o câncer é terminal? Como pensar que há algum comando divino no mundo, quando a violência gratuita e insana lhe rouba um ente querido? Como crer, quando você fez um mau investimento que resultou na perda das economias de toda uma vida?

Embora na maioria das vezes não se possa ver, a Bíblia diz que há um padrão em algum lugar na pintura de nossa vida. O que geralmente ocorre é que podemos estar demasiadamente perto do quadro e não discernir a face oculta. Devemos estar olhando em demasia para a lesão e não podemos ver a cura; talvez estejamos dando atenção demasiada ao dano e não podermos perceber a solução; olhando demais a crise e não perceber a saída.

Um dos maiores problemas que temos de enfrentar diz respeito à nossa concepção de Deus, que frequentemente se torna distorcida quando enfrentamos situações que nos tiram do eixo. Somos tão imediatistas, que se Deus não vem logo nos ajudar, falsamente supomos que Ele é injusto, ou simplesmente está alheio ao que nos acontece.

Quando percebemos só o imediato e deixamos de ver o todo, a nossa fé terá uma expressão deficiente. Assim, devemos contemplar o que está acontecendo conosco ou à nossa volta, sem jamais perder de vista a totalidade do propósito de Deus que está em andamento. E se cremos que Deus está no controle da História e das situações que enfrentamos na vida, em contrapartida devemos crer também que é Ele quem dará a última palavra a nosso respeito, não as circunstâncias. Uma fé sem essa dupla característica não estará completa.

Veja o exemplo de Moisés, que matou um egípcio e teve de fugir e passar 40 anos exilado no deserto da Arábia. Isto era o acontecimento imediato; mas Deus estava dando seguimento ao plano de forjar um líder para libertar o Seu povo do cativeiro egípcio. Observe o caso de José, cujos irmãos o venderam como escravo. Isto era o acontecimento imediato. Porém, através dessa traição familiar, o que estava em andamento era o plano de Deus de salvar não somente a sua família no Egito, mas também as nações circunvizinhas.

Mesmo nas situações causadas por nossos próprios erros, Deus pode fazer brotar algo de bom, pois está escrito: “Todas as coisas cooperam para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu propósito” (Rm 8.28). É por isso que, a despeito dos detestáveis pecados cometidos por Davi, Deus permitiu-lhe, após seu arrependimento, a inspiração para escrever e deixar abençoados Salmos para a posteridade.

Talvez você esteja sendo perseguido. Lembre-se de Estevão, primeiro mártir cristão, que foi apedrejado até a morte, sem deixar de ver que Deus estava levantando o apóstolo Paulo para um poderoso ministério. Lembre-se que, embora o governo romano tenha exilado João na Ilha de Patmos, daquela situação Deus fez fluir em livro a revelação do Apocalipse.

Quando o diácono Edward Kimball entrou numa sapataria em Chicago, em 21 de Abril de 1855, e ganhou Dwight Moody para Jesus, um jovem semi-analfabeto de 18 anos, que importância isso tinha, a não ser para eles? Todavia, Moody se tornou um grande evangelista e ganhou J. Wilbur Chapman para Cristo, que ganhou Billy Sunday, que ganhou Mordecai Hamm. Você sabia que Billy Graham, o evangelista eleito como o maior homem do século XX, se converteu a Cristo através da pregação de Mordecai Hamm? E através da pregação de Billy Graham, milhões de pessoas em todo o mundo foram salvas por Cristo. No início, só Deus podia discernir o quadro todo, mas agora nós também podemos.

O que está acontecendo nos bastidores da sua existência pode ter um resultado glorioso, se você guardar a fé e andar com Deus, até que Ele conclua os Seus propósitos na sua vida e você possa discernir a completude da tela da sua própria vida.

Samuel Câmara
Pastor da Assembleia de Deus em Belém

admin

Analista de Sistema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.