A Igreja Sudanesa de Cristo, antiga denominação cristã no país, escreveu uma carta para o governo do Sudão protestando contra a “violação sistemática da liberdade religiosa cristã”. A carta inclui o incidente em que uma igreja da área de Suba, na capital Cartum, é destruída. “Esse é o movimento mais ousado que a liderança da igreja teve contra a constante pressão do governo”, explica um cristão anônimo por motivo de segurança.

Há anos, a igreja reivindica direitos de liberdade e se posiciona contra a opressão das autoridades políticas do Sudão, mas é a primeira vez que um ato como esse se propaga pelas redes sociais. As formas de perseguição no país são diversas. O governo proíbe a construção de novas igrejas, confisca propriedades e escrituras, restringe as viagens de líderes cristãos e até destrói igrejas.

Uma luta longa
A carta chegou às autoridades um dia antes do ataque à uma igreja que funcionava desde 1983. Além dessa, cerca de outras 25 igrejas estão listadas para serem demolidas. Segundo o governo, as terras onde elas estão foram designadas para outros propósitos.

A carta pede ainda que as instituições nacionais, regionais e internacionais de direitos humanos intervenham em nome da igreja no Sudão para garantir o fim das violações dos direitos. Também pede à presidência sudanesa que atribua terras às igrejas, que elas sejam registradas e recebam o direito constitucional de possuir propriedades em todos os Estados do país.

Pedidos de oração

  • Agradeça ao Senhor pelo ato corajoso dos cristãos de reivindicarem liberdade.
  • Orem por sabedoria e coragem para a comunidade internacional no envolvimento com o governo sudanês para resolução dos conflitos.
  • Interceda pelos governantes do país. Peça a Deus que a verdade de Jesus Cristo os alcance.