“E o verbo se fez carne e habitou entre nós…”. O gesto de maior amor de Deus para com os homens não encontra reflexo no próprio homem para com os seus semelhantes. Falamos muito em amor, mas, sem nenhum significado prático, seremos incapazes de perceber as pessoas que estão morrendo sem Deus, sem paz e sem salvação ao nosso redor.
 
O que é o amor missionário para nós? Será que não passa de palavras vazias? Somos capazes de investir nosso tempo e recursos em coisas tão inúteis e nem pensamos no valor que custou uma alma no calvário. Muitas vezes gastamos mais o nosso dinheiro nos pet shops do que na obra missionária.
 
Cada dia que passa nos tornamos incapazes de ouvir as vozes dos mártires nos países totalitários, muçulmanos e politeístas, onde o evangelho não passa de um entrave político-religioso.
 
Até quando vamos tratar Missões como trabalho de quinta categoria? Até quando vamos desprezar o mais nobre de todos os chamados? – “Ide por todo mundo e pregai o evangelho a toda criatura”.
 
Missões se tornou apenas uma estatística que nunca melhora. Está em nossa mão o dever de mudar esta realidade. Você vai ficar parado ou vai trabalhar e orar por um mundo melhor?
 
Esta semana é dedicada a Missões, faça a sua parte, ore, trabalhe e contribua.
 
Pr. José Araújo
Coordenador de Missões Nacionais e Estrangeiras