Quando esperar uma resposta de Deus

Não são poucas as pessoas que ficam em dúvida sobre quando esperar uma resposta de Deus, se realmente devem esperar, e por quanto tempo. Alguns fazem orações por mero exercício de religiosidade, e geralmente não esperam resposta alguma. O fato é que se as pessoas realmente cressem que Deus responde às orações, ou mesmo quisessem que as respondesse, talvez não houvesse tanta oração sem resposta.

Lembro-me da história de um menino tinha o hábito de chupar o dedão, embora todo mundo dissesse que ele deveria parar. Uma noite, já chateado com essa situação, ele resolveu orar a Deus a respeito, e disse: “Ó, Deus, me ajude a parar de chupar o dedão”. Depois de uma pausa, ele continuou: “Ah, deixa pra lá; eu não quero mesmo parar de chupar o meu dedão”.

A sinceridade de uma criança é normalmente desconcertante. E, nesse caso, parece-me que essa criança foi muito mais sincera que muitas pessoas costumam ser em relação às orações dirigidas a Deus. Não são poucas as pessoas que querem uma responda de Deus às suas orações, mas não estão dispostas a concluir pedindo para o Senhor fazer a Sua vontade.

Alguns insistem em orar por causas que estão flagrantemente contrárias à vontade de Deus, segundo a verdade que está revelada nas Escrituras. Outros oram insistentemente por um assunto de sua própria vontade, como se quisessem impô-la de qualquer maneira a Deus. Mas o modelo de oração deve ser o mesmo de nosso querido e precioso Senhor Jesus, que disse: “Não se faça a minha vontade, e sim a tua” (Lc 22.42).

Orar por algo que sabemos não ser da vontade de Deus é completa perda de tempo. Deus já revelou a Sua vontade na Bíblia Sagrada e, portanto, as nossas orações devem ser baseadas nas verdades reveladas em Sua Palavra. E se, de algum modo, não sabemos que algo é da vontade de Deus, precisamos buscar na Sua palavra orientação a respeito.

Muitas vezes pedimos a Deus coisas que sabemos serem proibidas por Ele. Mas pedir a Deus para nos abençoar hoje, quando pretendemos fazer coisas que sabemos serem erradas, ou se tencionamos visitar lugares aonde um cristão não deve ir, é pedir mal. Tais orações jamais serão respondidas, como afirma Tiago: “Pedis e não recebeis, porque pedis mal, para esbanjardes em vossos prazeres” (Tg 4.3).

Lendo as Escrituras, encontramos três maneiras de Deus responder as nossas orações. Ele pode dizer: “Sim!” E então a bênção se instala. Ele pode dizer: “Não!” E não adianta ficar fazendo vãs repetições, que Ele não vai atender mesmo. Ele pode dizer: “Espere!”. Nesse caso, basta tão somente esperar que o tempo de Deus se cumpra, de modo que só assim a bênção se efetiva.

É inútil pedir a Deus que abençoe o nosso trabalho e as nossas ações na vida, se usamos de práticas escusas ou continuamos com os nossos hábitos mundanos. Caso contrário, se estamos andando segundo a vontade de Deus, mas mesmo assim a resposta não vem, precisamos esperar no Senhor e discernir o tempo certo em que devemos fazer alguma coisa. Deus faz a Sua parte no Seu tempo e do Seu modo; e nós fazemos a nossa parte segundo a Sua vontade.

Lembro-me da história de um velho fazendeiro que, ano após ano, arava em volta de uma enorme pedra em sua plantação. Ele já havia quebrado vários arados ao bater contra a pedra. Todo dia ele reclamava a Deus sobre os problemas que a pedra já lhe havia causado. Mas um dia ele resolveu retirá-la e acabar com essa história.

Ele colocou uma grande alavanca embaixo de um dos lados, levantou-a e percebeu, para sua surpresa, que a pedra não era tão profunda. Logo ele conseguiu retirá-la do chão, colocou-a em sua carroça, e sorriu ao pensar em toda a frustração desnecessária que aquela “grande” pedra lhe havia causado.

Nem todos os problemas podem ser retirados tão facilmente quanto aquela pedra. Embora a oração seja um meio eficaz de lidar com dificuldades de todos os tamanhos, se estamos centrados na vontade de Deus, pode chegar o momento em que teremos de agir e fazer a nossa parte na força que Deus supre.

Algumas vezes a resposta de Deus demandará uma ação de nossa parte, que certamente Ele nos dará sabedoria para discernir o tempo e o modo. Abraão teve de sair do meio de sua parentela, mesmo sem saber para onde ir. Isso foi o começo de uma caminhada de fé que até hoje traz resultado na vida de muitos crentes em Jesus. Moisés teve de ordenar ao povo que marchasse, e só assim o Mar Vermelho se abriu para o povo de Israel passar incólume. Davi teve de partir para enfrentar o gigante Golias no nome do Senhor dos exércitos, e só depois disso Israel venceu os filisteus.

Acima de tudo, a melhor maneira de esperar a resposta de Deus com o coração tranquilo é quando oramos com sinceridade: “Seja feita a tua vontade”.

 

 

Samuel Câmara

Pastor da Assembleia de Deus em Belém

admin

Analista de Sistema.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.