Você já tem a sua Arrabon?

Atualmente, quando algum produto é comercializado, outro “produto” costuma vir aliado ao bem de consumo: a garantia. Pode-se, inclusive, comprar uma ‘garantia estendida’ como seguro adicional para preservar o investimento de perdas ocasionais e impedir possíveis danos irreparáveis. Falando-se de bens de consumo, isso é um procedimento relativamente recente, mas muito bem-vindo e apreciável na relação entre produtores e consumidores, pelo nível de credibilidade que fornece aos negócios.

E se a vida também pudesse ter um seguro acompanhado de uma garantia que reparasse os danos na vida? E se essa garantia contemplasse tonar a vida perfeita a partir de um certo tempo? E se, adicionado a isso, concedesse o prêmio de vida eterna, mas sem os efeitos do tempo e mazelas da existência? Ah, você diria, isso não existe, é impossível. Mas, permita-me dizer-lhe: esta garantia existe, sim!

Foi o que descobriram dois amigos, especialistas em grego bíblico. Certo dia, quando passeavam pelas ruas de Atenas, ocasionalmente se detinham para ler as placas na frente das lojas, discutindo os possíveis significados de expressões. Foi quando avistaram uma placa com a palavra Arrabon. Eles entraram para conversar com o proprietário, que lhes disse que em grego moderno Arrabon significa “anel de noivado”. Um deles comentou: “Que interessante! No Novo Testamento, este é o termo para garantia, ou sinal de pagamento”.

O apóstolo Paulo faz referência a esse termo em sua carta aos Efésios: “Fostes selados com o Santo Espírito da promessa; o qual é o penhor da nossa herança, ao resgate da sua propriedade, em louvor da sua glória” (Ef 1.13-14). Em outras palavras: A habitação do Espírito Santo em nós é a garantia suprema de que receberemos o que Deus nos prometeu.

Todos nós éramos vendidos ao pecado, mas Jesus pagou o alto preço por nós, morrendo em nosso lugar na cruz do Calvário para a nossa redenção e ressuscitando “por causa da nossa justificação” (Rm 4.25). Assim, quando alguém recebe a Jesus como seu Senhor e Salvador pessoal, recebe o perdão completo de seus pecados e, ao mesmo tempo, também lhe é dado gratuitamente o Espírito Santo, que faz dele Seu templo e morada. O Espírito Santo é concedido ao que ama a Jesus como uma espécie de Arrabon, ou “sinal de pagamento”, uma garantia celestial de que somos propriedade exclusiva de Deus e que o próprio Senhor cumprirá as Suas promessas para conosco.

Assim foi prometido por Jesus: “Se alguém me ama, guardará a minha palavra; e meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada” (João 14.23). Por isso, Paulo assevera: “E, se alguém não tem o Espírito de Cristo, esse tal não é dele” (Rm 8.9). E também, ao contrapor-se à conduta pecaminosa dos irmãos da Igreja de Corinto, Paulo os chama ao caminho da santidade e indaga deles: “Não sabeis que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?” (1 Co 3.16).

A presença do Espírito Santo em nosso interior é uma antecipação das bênçãos superiores que experimentaremos quando Jesus vier buscar a Sua Igreja, da qual fazemos parte, e a levará para estar eternamente com Ele. Jesus deixou o Arrabon como sinal de Seu compromisso de que voltará e cumprirá a Sua promessa.

Agora o Espírito Santo habita em nós, dando-nos direção e poder para vivermos para Deus em santidade e justiça, numa adoração contínua, uma vez que somos templo e morada de Deus. Essa é a razão maior de sermos adoradores. Sem o Espírito Santo, o máximo que conseguiríamos era ser adoradores de ídolos.

Jesus ensinou também que o Espírito nos ajudaria a andar no caminho da verdade: “Quando vier, porém, o Espírito da verdade, ele vos guiará a toda a verdade; porque não falará por si mesmo, mas dirá tudo o que tiver ouvido e vos anunciará as coisas que hão de vir” (Jo 16.13). O Espírito também nos vivificará: “Se habita em vós o Espírito daquele que ressuscitou a Jesus dentre os mortos, esse mesmo que ressuscitou a Cristo Jesus dentre os mortos vivificará também o vosso corpo mortal, por meio do seu Espírito, que em vós habita” (Rm 8.11).

Pedro mostrou que o fato de sermos propriedade exclusiva de Deus tinha uma finalidade: “Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz” (1 Pe 2.9). Igualmente, Paulo ensina que nossa vida deve ser uma demonstração contínua da virtude do Espírito: “Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio próprio. Contra estas coisas não há lei. E os que são de Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e concupiscências. Se vivemos no Espírito, andemos também no Espírito” (Gl 5.22-25)

Há uma garantia suprema na vida. Todos nós que somos templo e morada do Espírito Santo temos o Arrabon, a suprema garantia de que um dia teremos muito mais, quando viveremos plena e perfeitamente na presença do próprio Deus.

Você já tem a sua Arrabon? Deus é fiel para honrar essa garantia eterna. Portanto, procure a sua garantia eterna em Cristo e tenha a sua própria Arrabon. Essa é a suprema garantia para sua vida, aqui e na eternidade.

Samuel Câmara
Pastor da Assembleia de Deus em Belém

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.